Odisseia do Escritor

Fórum para postarmos os nossos contos!
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 O Guardião do Nada

Ir em baixo 
AutorMensagem
shadowkahn

avatar

Mensagens : 11
Pontos : 14435
Data de inscrição : 10/10/2014
Idade : 22
Localização : Campinas, SP

Ficha do Autor
Competência:
Contos Vencedores:
1000/1000  (1000/1000)

MensagemAssunto: O Guardião do Nada   Sex Nov 21, 2014 1:01 pm

O GUARDIÃO DO NADA

A culpa foi minha. Eles esperavam algo de minha pessoa, e ainda assim não fui capaz de ajudá-los. Deus, ainda vejo a face deles me contemplando, esperando uma atitude que nunca viria a ser tomada. A culpa foi minha, e nada do que eu fale pode me redimir deste fato.

Me chamaram uma vez de Guardião. Hoje, estes que proferiram meu apelido pela primeira vez já não enxergam a luz do sol, enterrados sob camadas e camadas de destruição. Chamaram-me de super-herói. Talvez um dia eu tenha sido um de verdade, daqueles que voam na velocidade da luz e tem a força suficiente para erguer um avião. No entanto, me pergunto novamente, o que sou?

Não tenho mais com quem conversar, e nem sei mesmo se há algo para ser dito. Um pedido de desculpas agora seria levado ao vento, sem ninguém para recebê-lo. E se recebessem, aceitariam? Certamente não. Falhei com todos, e enquanto o mundo se transforma numa coisa nova, sem a raça humana ou qualquer tipo de vida, eu pairo sobre ele, preso em minhas conjecturas.

Fiquei preocupado demais em enfrentar os vilões que apareciam vez ou outra, e acho que deixei de me importar com as bilhões de vidas que dependiam de mim. Fiquei folgado, travado naquilo que a minha imagem valia. Primeira página em todos os jornais, um sorriso galante e uma frase de efeito para que todos se sentissem seguros em cada pólo do mundo.

E hoje, estão todos mortos. Por minha causa. Por minha arrogância em não aceitar o perigo iminente. Em minha certeza de que um humano não poderia causar tanto mal para a humanidade, trezentas e cinquenta bombas nucleares explodiram ao mesmo tempo, ao redor do globo.

Não tive tempo de impedir. Quando o rapaz americano – e o quão irônico é um terrorista americano? – apareceu na televisão, anunciando que explodiria o mundo para extinguir a raça humana, que veracidade aquelas palavras tinham? Quais motivos elas carregavam?

Meu peito implode milhões de vezes, em angústia desesperadora. Eu não sei mais o caminho a tomar, visto o negrume que me cobre no espaço. Estou sozinho, e a solidão é como uma bigorna num cartum antigo, mas ela amassa minhas esperanças, destrói meus pensamentos.

Estou sozinho, e provavelmente ficarei assim pela eternidade. Não posso morrer, e sei disso. Meu coração sabe disso. Ele implode uma vez mais.

Para onde ir? O que fazer, agora que o mundo não precisa mais de mim?

Eu sei a resposta. Talvez a única coisa capaz de me manter morto.

Sinto muito a todos, estas palavras silenciosas lhes pedem. Não fui um guardião, nem mesmo um super-herói. Fui um homem arrogante, e esta lágrima que sobe ao invés de descer na gravidade carrega o peso das bilhões de vidas que de mim dependiam, e que hoje nada mais são.

Se um Deus existe, este mesmo Deus que me deu este fardo, peço que me perdoe também. Não cumpri com minha missão na Terra, e por isso me despeço para sempre. Se este Deus me escuta, eu me tornei aquilo que certamente não havia nos teus planos.

Deixando a Terra às minhas costas, com as almas lamentando em meu cangote, eu fito a estrela vermelha, brilhando e sustentando o fogo sem oxigênio. O sol, a única porta de saída que eu encontro nesta vida que de nada levarei.
Posso viajar na velocidade da luz e encontrar-me com o astro gigante, mas acho que preciso pensar, fazer meu caminho da penitência. Há um frio em minha barriga, minha respiração ofega e eu nem mesmo estou cansado. As lágrimas se juntam em meus olhos, mas não escorrem. Estão ali, e eu sinto cada uma delas.

Parto então, lamentando o dia em que nasci e que jurei proteger-lhes. Lamentando o dia em que deixei a loucura me subir à cabeça.

Sei que não podem me ouvir, mas me perdoem mais uma vez. Pois de cabeça baixa, eu ando pelo corredor da morte, vendo a cadeira elétrica logo à minha frente. Não a temo, pois é o que mereço. É o que o Guardião do Nada merece.

E assim termina a humanidade.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
zizgz



Mensagens : 41
Pontos : 14805
Data de inscrição : 07/09/2014
Localização : Porto, Portugal

MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   Sex Nov 21, 2014 1:49 pm

Você conseguiu juntar os dois temas! E é um drama, de facto, o que vive este super-herói. Gostei também do uso da primeira pessoa, sobretudo no primeiro parágrafo, que é forte. Mas depois perde um pouco essa força - é a única crítica. Talvez falte um enredo mais complexo ou outras personagens. Mas está interessante. Parabéns!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
shadowkahn

avatar

Mensagens : 11
Pontos : 14435
Data de inscrição : 10/10/2014
Idade : 22
Localização : Campinas, SP

Ficha do Autor
Competência:
Contos Vencedores:
1000/1000  (1000/1000)

MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   Sex Nov 21, 2014 1:52 pm

E ai Ricardo Very Happy

Po cara, muito obrigado pelo comentário. De fato, a força se perde um pouco depois do primeiro capítulo, que era o que eu mais queria impactar, mas tentei mantê-la até o fim, o que não deu auhauha' A falta de enredo e personagens é proposital, para reforçar a solidão do personagem e te fazer pensar que deu merda, sem que você tenha de vê-la hehe. Muito obrigado novamente!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ademar Ribeiro

avatar

Mensagens : 181
Pontos : 15707
Data de inscrição : 23/06/2014
Idade : 36
Localização : SBC - SP

MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   Sab Nov 22, 2014 12:55 pm

Mais um de super herói!!!

Edson agora senti uma solidão interminável e acho que a ideia de um texto é justamente essa. Trazer o drama ao leitor. Parabéns, tu fez com maestria. Um texto curto, mas impactante. Subgênero e temas (ambos) muito bem abordado. Mais uma vez parabéns.

Dezembro tem mais, te espero lá!

_________________
Espero que leia os outros textos e deixe sua impressão. Te espero mês que vem. Sem mais!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
shadowkahn

avatar

Mensagens : 11
Pontos : 14435
Data de inscrição : 10/10/2014
Idade : 22
Localização : Campinas, SP

Ficha do Autor
Competência:
Contos Vencedores:
1000/1000  (1000/1000)

MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   Sab Nov 22, 2014 1:04 pm

Fala Ademar! Muito obrigado pela sua leitura! Que bom que consegui passar a solidão espacial pro leitor, porque tive que incorporar o super-herói pra escrever isso. Maldito seja o narrador em primeira pessoa hahaha. Mais uma vez, muito obrigado! Até dezembro!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Tammy Marinho

avatar

Mensagens : 141
Pontos : 15637
Data de inscrição : 26/06/2014
Idade : 28

MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   Dom Nov 23, 2014 6:05 am

Então foi só minha visão ou tem um Q inspiratório de Watchman nesse texto?

Eu goste bastante do enredo, do desenvolvimento, do final e da maneira como mesclou ambos os temas.
Mas assim como todos os textos que li antes, não senti na alma.
Está bem descrito? Está.
Mas ainda não chegou na alma.

Parabéns...

E até Dezembro!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Carol Rodriguez

avatar

Mensagens : 45
Pontos : 15549
Data de inscrição : 24/06/2014
Idade : 26

MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   Dom Nov 23, 2014 10:02 am

Concordo com a Tammy, apesar de que seu texto me tocou e eu senti vontade de abraçar o personagem.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
shadowkahn

avatar

Mensagens : 11
Pontos : 14435
Data de inscrição : 10/10/2014
Idade : 22
Localização : Campinas, SP

Ficha do Autor
Competência:
Contos Vencedores:
1000/1000  (1000/1000)

MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   Dom Nov 23, 2014 2:43 pm

Responderei as duas neste tópico pra não lotar de resposta hahaha.

Tammy, parte da inspiração veio assistindo Watchmen mesmo uhauah' Parti do princípio onde os heróis falham, que é quase como acontece nos quadrinhos e no filme. Fico feliz que tenha gostado do texto, e buscarei agora melhorar esse meu lado dramático pra tentar fazer chegar na alma, como disse hehe. Muito obrigado!

Carol, digo as mesmas coisas que disse à Tammy, e pelo menos um dos objetivos do texto foi conquistado auhauha' Um dos pontos é a solidão do cara que se vê sozinho no universo. O que fazer agora? Mais uma vez, muitíssimo obrigado!

Em dezembro nos encontramos de novo ^^'
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vinícius Tadeu



Mensagens : 52
Pontos : 14772
Data de inscrição : 11/09/2014

Ficha do Autor
Competência:
Contos Vencedores:
1000/1000  (1000/1000)

MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   Sex Dez 05, 2014 5:56 pm

Gostei!
Acredito que passou o que pretendia. Um texto pode ser longo, mas não necessariamente.
Parabéns!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
talysmcidreira



Mensagens : 18
Pontos : 14192
Data de inscrição : 04/11/2014

MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   Sex Dez 05, 2014 6:30 pm

Seu texto ficou muito bom! Tem uma carga dramática muito boa. Está bem escrito. A primeira pessoa sempre ajuda para que isso aconteça, mas você soube usar bem deste artifício. Minha única ressalva é que quando algo é bom, fica aquele gostinho de quero mais. O conto tem uma profundidade no aspecto dramático. Mas pede uma expansão na narrativa sobre os personagens.
Parabéns!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: O Guardião do Nada   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O Guardião do Nada
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Nada é tão bom, que não possa ser melhorado ....
» [Vendo]Nada a venda no momento
» [Ficha] A Zorua Guardiã
» Tópico de Votação - Líder dos Guardiões da Galáxia.
» Notícias da Saga

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Odisseia do Escritor :: Contos :: Poste aqui seus contos do mês de Novembro/2014-
Ir para: