Odisseia do Escritor

Fórum para postarmos os nossos contos!
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 [Fragmento] Acordos Esquecidos

Ir em baixo 
AutorMensagem
Patricia Souza
Admin
avatar

Mensagens : 118
Pontos : 15641
Data de inscrição : 23/06/2014
Idade : 32
Localização : Niterói, RJ

Ficha do Autor
Competência: Analista Ébrio
Contos Vencedores:
0/1000  (0/1000)

MensagemAssunto: [Fragmento] Acordos Esquecidos   Seg Jun 30, 2014 8:39 pm

Desejo apareceu pra mim vestida de cetim vermelho, brilhante como fogo. Os cabelos negros, grossos e brilhantes chegavam aos calcanhares, e eram adornados com diamantes. Os lábios carnudos, num beicinho eterno, brilhavam em carmim. Seus olhos, tão lindos, cintilavam maliciosamente, como se soubesse de todos os segredos do mundo e tencionasse conta-los aos sete ventos.

_ Você me intriga criança. E eu não gosto do que não entendo. - Disse-me ela. Sua voz trouxe arrepios de prazer à minha espinha. - Diga-me, por que quer tanto esse homem que te despreza?

_ Eu o quero, apenas quero. - Eu disse imediatamente.

_ Mas por quê? Eu entendo todos os desejos dos mortais, menos o seu. - Disse ela circulando à minha volta. Seus saltos faziam “clack-clack” a cada passo, ecoando infinitamente pelo espaço.

_ Eu só quero… Senhora... Por favor… - eu não sabia ao certo pelo que implorava.

_ E o que faria para tê-lo?

_ Qualquer coisa! Por favor…

_ Qualquer coisa você diz… - disse levando um indicador, de unha bem feita, ao queixo pensativamente.

_ E o que me dará, mortal, em troca do seu Desejo?

_ Tudo! Pegue o que quiser, é seu! Faça o que quiser, mas, por favor… Por favor…

_ Muito bem. É seu. Aproveite enquanto pode. - Disse rindo, enquanto desaparecia, deixando pra trás um perfume de pêssegos maduros.

--

Sim, ele era meu.

Finalmente eu podia deitar-me em seu colo e me sentir inteira. Todo resto perdia a cor quando acordava ao seu lado, ou via seu sorriso.

Mesmo quando ele me dizia que eu não valia nada, que ele era e sempre iria ser melhor do que eu.

Eu acreditava total e completamente no que ele falava.

Eu era feia.

Eu era gorda.

Meu cabelo era ruim.

Minha pele negra era asquerosa.

Eu tinha sorte de estar com ele, porque ninguém mais iria me querer.

E eu estava feliz. Radiante de felicidade.

Por quê?

Porque eu tinha o que queria. Nem me importava que ele saísse com outras garotas. No final ele voltava pra mim. Sempre voltava.

Ilusão.

Inocência.

Orgulho.

O meu caminho de volta.

Um a um fui perdendo pedaços de mim mesma, entregando tudo a ele em uma bandeja de prata, pra ele apenas cuspir em cima.

Dignidade.

Liberdade.

A cada pedaço que eu perdia, mais eu me afundava, e mais a verdade me acertava como uma marreta, até que no final só sobrou…

Eu.

--

Desespero apareceu pra mim, saída do espelho aonde eu me olhava, nua. Encaramo-nos olho no olho, Ela pálida, gorda, os seios caídos, os olhos cinzentos como o que restou da minha alma. E mesmo já não mais saindo de casa, pois ele não permitia, ainda tinha aquele tom marrom que passei a odiar, magra, podiam-se contar as minhas costelas. Os olhos fundos e vermelhos de tanto chorar.

_ Me salve! - Eu implorei.

Desespero continuou a me olhar, impassível.

_ Me salve! - Eu gritei. - Me salve! Me salve! ME SALVE! - Gritei enquanto socava o espelho, alheia aos danos que estava causando aos meus dedos ossudos.

Olhei a bagunça de cacos e sangue que estava o banheiro. Desespero continuava olhando pra mim, rasgando a própria pele com um anel de gancho que usava no dedo. Eu gritei até sentir gosto de sangue subindo pela minha garganta, ao mesmo tempo em que arrancava tufos do meu próprio cabelo.

_ Você não tem mais nada para me dar, criança, - Sussurrou Desespero. - além da sua dor.

Eu me ajoelhei no meio dos cacos, ignorando os cortes nos meus joelhos. Peguei um caco particularmente grande, admirei por um momento como brilhava contra a luz, e cortei um talho no meu antebraço na vertical, sem nenhum momento de hesitação, seguindo uma veia bastante saltada.

_ Se é a minha dor que você quer, fique com ela. Tenho bastante. Aliás, pode ficar com tudo! - Eu gritei enquanto imitava o talho que ela fez no próprio corpo. Seus olhos cinzentos se alargaram minimamente.

_ Sua dor já é minha por direito, criança. - Sussurrou ela.

_ Entendo…

Sentamos em silêncio no banheiro frio. Sangrei até desmaiar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://http:\\rouxinoldeprata.blogspot.com
Je Henrique

avatar

Mensagens : 11
Pontos : 15519
Data de inscrição : 24/06/2014
Idade : 20
Localização : Sp - interior

MensagemAssunto: Re: [Fragmento] Acordos Esquecidos   Seg Jul 07, 2014 2:03 pm

Mds este texto eh muito poético! Very Happy Very Happy Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Patricia Souza
Admin
avatar

Mensagens : 118
Pontos : 15641
Data de inscrição : 23/06/2014
Idade : 32
Localização : Niterói, RJ

Ficha do Autor
Competência: Analista Ébrio
Contos Vencedores:
0/1000  (0/1000)

MensagemAssunto: Re: [Fragmento] Acordos Esquecidos   Seg Jul 07, 2014 5:19 pm

Je Henrique escreveu:
Mds este texto eh muito poético! Very Happy Very Happy Very Happy  

 Rolling Eyes Bondade sua.

Mas elabore melhor, o que vc achou? Do que vc gostou mais? Do que vc gostou de menos? Teve alguma parte que ficou sem sentido? ME AJUDA JE!!!! D;
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://http:\\rouxinoldeprata.blogspot.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: [Fragmento] Acordos Esquecidos   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[Fragmento] Acordos Esquecidos
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Odisseia do Escritor :: Publicidade/Divulgação :: Divulgação de outros contos-
Ir para: