Odisseia do Escritor

Fórum para postarmos os nossos contos!
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Chuteiras Inglórias

Ir em baixo 
AutorMensagem
Nathálya Barbosa Navarro



Mensagens : 12
Pontos : 15188
Data de inscrição : 26/06/2014
Idade : 23
Localização : Rio de Janeiro, Brasil

MensagemAssunto: Chuteiras Inglórias   Qui Jun 26, 2014 1:37 pm


Passo por entre gigantes grotescos que me espremem e enojam com sua mistura de suor, bebida e a animação que os obrigam a pularem incessantemente. O único elemento que evita que me perca nesse mar de corpos é a mão de meu salvador, que nos guia com maestria para o local indicado por seus ingressos.
Quando chegamos aos assentos assinalados, quase somos atacados por alimentos voadores lançadas dos vendedores ambulantes para seus consumidores, ávidos em forrar o estômago para mais uma partida. Meu pai, olhando a cena, transmite um sorriso por detrás do bigode espesso.
- Filhote, quer comer alguma coisa? Pipoca? Cachorro quente? Refrigerante?
- Não – respondo secamente
- Ora, não quer tornar seu passeio mais especial?
- Já disse que preferia ficar em casa desenhando, não aqui
Creio que essa minha resposta grossa, apesar de sincera, magoa intensamente meu pai, que passa a encarar o chão. Como pai divorciado, ele tentava me incluir, seu filho de 8 anos, em passeios com atividades desportivas que ele tanto amava. Esse ano a recusa foi ainda mais difícil, pois era a primeira vez que o país recebia a Copa do Mundo e ele queria que eu me incluísse na paixão nacional, o futebol.
Meus olhos desinteressados vasculham o local, um estádio redondo infestado de torcedores com pinturas verdes e amarelas no rosto, gritando loucamente para transmitir “boas energias” para o time. Do lado oposto, traços azuis e pretos se sobressaem no rosto dos uruguaios, ansiosos pelo título.
O jogo se inicia e os bravos jogadores adentram no gramado. Brasil de camiseta branca e shorts azuis enquanto que Uruguai está azul e preto, respectivamente. O hino brasileiro entoa forte entre os torcedores, que dominam o estádio e cantam com muito amor. O mesmo é seguido de inúmeras palmas, que batem em uníssono.
- Pai, não se pode bater palmas depois do hino! – ele grita animado com o êxtase do caldeirão em ebulição que o povo está, deixando claro o que aprendera nas horas cívicas da escola
O dono do bigode obedece sorrindo, pois é o primeiro comentário dado de forma positiva pelo filho durante todo o dia desde que saíram de casa.
Depois do hino uruguaio, o jogo dá partida. Todos ficam correndo alucinados a fim de obter a vitória nessa final de Copa do Mundo. O pequeno Newton observa, agora entusiasmado, os corpos a se moverem, encurvado tentando chegar mais perto no seu assento. O pai se alegra cada vez mais com a decisão tomada. Até mesmo cachorro quente com refrigerante ele pediu para comer sem tirar os olhos a acompanhar os movimentos no gramado.
Quase no final na partida, com o jogo empatado com um gol para cada time, os uruguaios avançam para o lado brasileiro com fúria. Os azuis começam a saltar de alegria e os amarelos abaixam as cabeças com o gol adversário.
Contudo, a expectativa do jogo é quebrada por um berro que dá lugar aos lamentos e comemorações. No campo, o goleiro brasileiro sangra, vítima das travas de ferro que penetraram na carne de seu rosto na tentativa de defender o chute do uruguaio. O local onde antes havia seu sadio globo ocular é dominado pelo vermelho-vivo misturado a um líquido viscoso, ressaltando o término da carreira do rapaz.
A grama se colore de escarlate, a multidão sai alucinada dos seus lugares para saírem do estádio, onde novas vítimas caem com o alvoroço e são pisoteadas pelos indivíduos atrás deles, deixando rastros de sangue em direção às saídas. Restos de comida são abandonados nas arquibancadas devido ao desespero, acumulando-se junto com alguns novos corpos, sejam eles inertes ou com alguns poucos espasmos.
Enquanto isso, paralisado e boquiaberto, o ex-novo amante do futebol nunca mais veria o esporte da mesma maneira em sua vida.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ademar Ribeiro

avatar

Mensagens : 181
Pontos : 15397
Data de inscrição : 23/06/2014
Idade : 36
Localização : SBC - SP

MensagemAssunto: Re: Chuteiras Inglórias   Qui Jun 26, 2014 2:54 pm

Bom, gostei da história, um episódio fatídico que traumatizou não só o seu avô, mas muitos outros brasileiros. Eu piro demais em resgates históricos mesclados a ficções, adorei o seu jeito de escrever. Parabéns! Ah, se essa copa fosse em 2014, os japoneses ficariam para recolher os lixos e talvez os corpos rsrs (humor negro)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Queirós

avatar

Mensagens : 65
Pontos : 15267
Data de inscrição : 23/06/2014

MensagemAssunto: Re: Chuteiras Inglórias   Seg Jun 30, 2014 2:22 pm

Muito bem, Nathálya! A gente nem se conhece e já tomo a liberdade de dizer o que penso. Eu me confundo em textos narrados no presente, mas sei que é uma prática amplamente adotada. Dedique uma atenção maior a concordância verbal. Por exemplo, não seria "alimentos voadores lançados dos vendedores"? Como está no presente, também acho que deveria ser "ele tenta me incluir" e não "ele tentava me incluir", porque no momento em que acontece a narrativa, o pai está incluindo o filho em passeios e atividades, não é uma coisa do passado.

"Brasil de camiseta branca e shorts azuis". Eu estranhei um pouco essa construção. Eu acho que "Brasil de camiseta branca e short azul", ou ainda "Brasil de camisetas brancas e shorts azuis" melhor. No entanto, eu trocaria short por calção, fica mais agradável.

Sobre o finalzinho, ficou um tiquinho estranho. Falta alguma coisa mais séria pra os torcedores saírem em pânico e desespero. Se fosse somente o jogador machucado, eu tenho a impressão de que ficariam todos em seus lugares, esperando e tristes com a situação. Agora vamos conversar eu e você, aqui, no escurinho, vamos trocar umas ideias bacanas: por que você não joga um pedaço da estrutura do estádio em cima de um monte de gente? Explique que o estádio é fechado, tem teto de armações bem pesadas... Daí, você já tira ideias perversas: todo mundo na área esperando pela cobrança de escanteio... E uma pesada viga de ferro meio solta em cima de todo mundo.. E outra viga de ferro caindo lá na frente, e outra, e mais uma. Imagina o caos que acometeria esse estádio? Todavia, isso tudo é muito sangrento, você tem que tomar muito cuidado na hora de matar tantas pessoas. É isso, espero que minhas dicas lhe ajude!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Estela Goldenstein

avatar

Mensagens : 48
Pontos : 15214
Data de inscrição : 27/06/2014
Idade : 36
Localização : Paranagua-PR

MensagemAssunto: Re: Chuteiras Inglórias   Seg Jun 30, 2014 9:55 pm

Oi, eu adorei o título do seu conto, gostei mto do enredo, acho q sua narrativa começou muito bem, vc pode dar uma melhorada no final como a aconselhou nosso amigo! Parabéns
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Chuteiras Inglórias   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Chuteiras Inglórias
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Cores Originais de Várias Marcas e Anos - Site!!!
» [Resultado] XXV Torneio de Fotos Cloth Myth Revolution - Férias.
» [Resultado]Torneio de Fotos Especial de Aniversário Guerra Galatica 2ª Fase - Shun Vs Ban
» [Parceria] Bulba RPG
» [Fanfic] Histórias comicamente assombradas

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Odisseia do Escritor :: Contos :: Poste aqui seus contos do mês de Junho/2014-
Ir para: